Rio de Janeiro - 29 e 30 de Outubro de 2016

Coluna Ciência das Artes Marciais: aprenda a avaliar a força e a potência dos seus golpes


Já pensou em aprender como medir a força e potência dos golpes nas lutas, artes marciais e modalidades esportivas de combate? Essas informações são cruciais e utilizadas pelos atletas de MMA do UFC e por diversos medalhistas olímpicos.

Em oportunidade ímpar, o Prof. Dr. Osmar Pinto Neto - mais abaixo exponho seu currículo - coordenou pesquisa em que avaliou diversos atletas do UFC, tais como Erick Silva, Rony Jason e o ex-UFC Rafael Feijão (veja abaixo o vídeo). Por meio dessas avaliações, é possível melhorar alguns aspectos técnicos relacionados aos golpes e, em médio prazo, verificar se o trabalho da preparação física quanto à força e/ou potência está dando (bons) resultados ou não.



O Prof. Dr. Osmar Pinto Neto coordenará curso e clínica prática sobre o tema, com explicações simplificadas, práticas e haverá certificado. Esse curso será ministrado dentro do II Simpósio Nacional de Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate, site oficial: http://ompeditora.wixsite.com/simposionacional
Informações: (21) 96450-9946 (tel e whatsaap)
Obs.: TODOS OS PARTICIPANTES PODERÃO AVALIAR GRATUITAMENTE A FORÇA DOS GOLPES EM APARELHOS DE ÚLTIMA GERAÇÃO, UTILIZADOS NOS EUA, EUROPA, CHINA E JAPÃO.


Prof. Dr. Osmar Pinto Neto:
- Graduado em Educação Física (Univap) e Matemática Aplicada (Jacksonville State University);
- Mestre e Doutor em Engenharia Biomédica (Univap);
- Citè e Pós-Doutor pela Universidade da Flórida e pela Texas A&M University;
- Pesquisador na Anhembi Morumbi com foco em Neurociência e Biomecânica, tendo publicado mais de vinte artigos em periódicos internacionais;
- Autor de dois capítulos de livros publicados nos EUA e de três capítulos do livro "Olhar Clínico nas Lutas" - Brasil;
- Autor do livro "Biomechanics of Martial of Arts and Combative Sports";
- Consultor Técnico da série "A Ciência das Artes Marciais" (National Geographic - EUA);
- Faixa Preta de Kung Fu com experiência na China, Brasil e Estados Unidos.


Leia Mais ►

Revista TATAME: Rio de Janeiro recebe segundo Simpósio Nacional de Lutas em outubro; confira todos detalhes



Por Revista TATAME: www.tatame.com.br.

Nos dias 29 e 30 de outubro, será realizado no Rio de Janeiro o 2º Simpósio Nacional de Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate. O primeiro evento, na vanguarda, foi realizado em 2010. Neste, além de quatro cursos, acontecerão três clínicas práticas e um "aulão" de MMA. Dentre outros, destaque para a 2ª Mostra Nacional de Produção Científica em Lutas, Esportes e Atividade Física, que é uma oportunidade de acadêmicos e profissionais se tornarem protagonistas do saber, com apresentação de trabalhos e muito mais.
Palestrantes confirmados: Leandro Paiva, Fabrício Boscolo Del Vecchio (EAD), Osmar Pinto Neto, Marcus Costa, Jorge Felipe Columá e Carlão Barreto.
Atrações: Lançamento de livros, Feira, Exposição, Aulão de MMA c/ Carlão Barreto (Mestre e Comentarista do Canal Combate), etc.
Outros diferenciais:
- Certificado reconhecido nacionalmente e chancelado com CNPJ e registro do número de horas;
- Palestrantes com Doutorado (P.H.D.);
- Material das aulas (slides) será disponibilizado gratuitamente;
- Registro de horas p/ Certificação de Formação Profissional em Ciência das Artes Marciais.

Público-alvo: interessados em geral (aberto), atletas, praticantes, técnicos, treinadores, mestres, professores, estudantes e profissionais de Educação Física, Fisioterapia, Nutrição, Medicina, Psicologia, Pedagogia, etc.
SERVIÇO:
Evento: II Simpósio Nacional de Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate
Onde: Rio de Janeiro (Associação Scholem Aleichem - Rua São Clemente, 155 - Botafogo)
Quando: 29 e 30 de outubro de 2016
Informações: (21) 96450-9946 (Tel e Whatsaap)




Leia Mais ►

Coluna Ciência das Artes Marciais: 12 principais exercícios para lutadores (FINAL)



Esse artigo corresponde à segunda parte dos 12 principais exercícios (não específicos) que podem e devem, sempre que possível, priorizar-se no trabalho de Preparação Física para lutadores. Conforme ressaltei anteriormente (veja AQUI), com a quantidade de meios e métodos que vêm surgindo, praticantes e atletas de diversas graduações podem ficar confusos sobre a escolha dos exercícios. 

Para finalizar, listamos abaixo (sem ordem sucessiva de importância) os seis últimos exercícios (não específicos). Mais uma vez reforço que considerei como não específicos aqueles que não se referem a reproduzir exatamente as técnicas das lutas em contexto de preparação física.

1) Arranco (Snatch): exercício tradicional do esporte Levantamento de Peso (estilo Olímpico) - LPO. Executado parcial ou completamente (clássico) no intuito de força máxima, mas, principalmente, com objetivo de melhorar a potência (força x velocidade) e, também, resistência muscular. Em pesquisas realizadas para averiguar a geração de potência, foram comparadas algumas fases do Arranco e Arremesso com os exercícios de supino, agachamento e levantamento terra. Os resultados foram surpreendentes! Os exercícios de LPO produziram potência de seis a dez vezes superior, comparados aos outros exercícios.
2) Arremesso (Clean and Jerk): outro exercício tradicional no LPO e que pode ser utilizado em execuções parciais ou completas para os mesmos objetivos do Arranco. Em estudo conduzido com sessenta e três meninos, atletas de Judô e Luta Olímpica, verificou-se que, comparativamente, após 12 semanas, os exercícios de LPO proporcionaram ganhos superiores do que o treinamento de saltos realizado com intuito de aprimorar a força de partida dos atletas (determinante nas circunstâncias em que a velocidade inicial da ação dita o resultado final, como o começo rápido e vigoroso de uma técnica evitando que o oponente seja efetivo em ação defensiva).
3) Saltar: os exercícios de salto, realizados com um (unipodal) ou com os dois pés (bipodal) em suas diversas formas de execução, são exercícios poderosos e que devem ser incorporados ao repertório dos atletas. Nesse caso, o mais adequado é que seja supervisionado por um especialista que entenda sobre a necessidade de progressão gradativa quanto à altura, distância, séries e repetições. Atletas mais pesados não devem exceder neste trabalho, pois, se não for bem conduzido, poderá sobrecarregar as estruturas articulares do joelho, tornozelo, etc. Vale ressaltar um estudo realizado com atletas cubanos de Luta Olímpica, em que se observou proeminente associação entre Saltos Verticais – SV e aumento da potência dos membros inferiores. Ademais, em investigação realizada com atletas de Judô, foi verificado que lutadores de nível internacional demonstraram resultados superiores em teste de SV quando comparados a praticantes recreacionais.
4) Arremesso de Bola Medicinal: existem referências de sua utilização com atletas de Judô, Luta Olímpica, Boxe, MMA, etc. A principal observação reside na escolha da carga ou “peso” da bola de acordo com a modalidade. Enquanto, por exemplo, o tempo de execução de um Jab ou Direto pode durar 0,25s (apenas um quarto de segundo) o período necessário na dinâmica puxar-empurrar no Judô para entrada de golpe pode levar pouco mais de 1s (com variações, em média, 1,25s). Portanto, recomenda-se que atletas de modalidades de domínio (Jiu-Jítsu, Submission, Judô, etc.) utilizem bolas medicinais acima de 4-5 kg, dependendo da categoria de peso. Em modalidades de percussão (Boxe, Muay Thai etc.) de 0,5-2 kg e no MMA, variação entre bolas de até 1-2 kg e bolas acima de 3 kg.
5) Exercício com Kettlebell: vale salientar que Kettlebell não é o exercício e sim o implemento utilizado. Lembra uma munição de canhão antigo, em formato de bola, anexado a uma alça. Em pesquisa relativamente recente, verificou-se que a dinâmica muscular de contração-relaxamento-contração observada durante exercícios com Kettlebell, foram surpreendentemente similares às verificadas em algumas técnicas de chutes e socos desferidos por atletas de elite de MMA.
6) Correr: em primeiro lugar, saliento que, como meio não específico de melhorar aptidão aeróbia e anaeróbia de lutadores, a natação e o ciclismo também podem ser utilizados. Escolho prioritariamente a corrida por ser o meio relativamente mais fácil (e barato). Além de não exigir piscina ou bicicleta, em (quase) todos os relatos publicados em periódicos, consta a corrida como principal seleção de exercício não específico utilizado para melhorar  aptidão aeróbia e anaeróbia de atletas de Modalidades Esportivas de Combate. Quer seja pela necessidade de melhorar a Potência Aeróbia (VO2 máx.) e a Potência e Capacidade Anaeróbia, os estímulos contínuos e os intermitentes com “tiros” ou “sprints” (HIIT) de corrida estão entre os mais eficazes dentre os não específicos.
Atenção: boa parte das referências presentes na Parte 1 e 2 deste artigo serão abordadas em profundidade e detalhadamente por diversos palestrantes no II Simpósio Nacional de Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate - Saiba mais AQUI 
Vale ressaltar que a maioria das referências desse artigo constam nos livros “Pronto Pra Guerra – Preparação Física Específica p/ Luta & Superação” e “Olhar Clínico nas Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate” (Autor: Leandro Paiva).
* Leandro Paiva - Saiba mais sobre seus trabalhos AQUI. Sobre os cursos realizados em 2015 AQUI e em 2016 AQUI.


Leia Mais ►

II Simpósio Nacional de Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate



Em 2010 foram reunidos na Academia X-GYM, no Rio de Janeiro, os maiores especialistas/estudiosos/pesquisadores em Lutas, Artes Marciais e Modalidades Esportivas de Combate. O evento foi produzido e coordenado pelos professores Leandro Paiva e Rogério Camões.
O I Simpósio Nacional de Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate (2010) tornou-se consagrado pelo efetivo entusiasmo e participação da mídia especializada, contribuindo com debates importantíssimos e pela massiva participação do público. 
O II Simpósio Nacional de Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate surge em outro contexto. Muito se avançou acerca dessas práticas.
Com produção, chancela e coordenação da OMP EDITORA, terá como ponto alto a possibilidade de estudantes e profissionais se tornarem protagonistas com apresentação de resumos e trabalhos completos. Para tal empreitada, planejou-se a 2.ª Mostra Nacional de Produção Cientifica em Lutas, ampliada para inscrição de trabalhos sobre qualquer esporte presente nos Jogos Olímpicos. Ademais, haverá inscrição para produção sobre Atividade Física, de modo geral.


PALESTRANTES

Prof. Dr. Fabrício Boscolo Del Vecchio (EAD), Prof. Dr. Osmar Pinto Neto, Prof. Dr. Jorge Columá, Prof. Leandro Paiva, Mestre Carlão Barreto e Prof. Esp. Marcus Costa. Saiba mais sobre os palestrantes AQUI.

DIFERENCIAIS

Certificado reconhecido nacionalmente e chancelado com CNPJ e registro do número de horas;
Palestrantes com Doutorado (P.H.D.);
Material das aulas (slides) será disponibilizado gratuitamente;
 4 Cursos, 3 Clínicas Práticas e Aulão de MMA com Carlão Barreto (Canal Combate);
Palestras presenciais e EAD (ao vivo);
 2.ª Mostra Nacional de Produção Científica em Lutas, Esportes e Atividade Física (apresentação de resumos e trabalhos completos);
Lançamento de livros;
Mini Feira de livros;
Exposição;
Registro de horas p/ Certificação de Formação Profissional em Ciência das Artes Marciais (Saiba mais AQUI).

PÚBLICO-ALVO

Interessados em geral (aberto), atletas, praticantes, técnicos, treinadores, mestres, professores, estudantes e profissionais de Educação Física, Fisioterapia, Nutrição, Medicina, Psicologia, Pedagogia etc.
* Todos os participantes receberão certificado reconhecido nacionalmente e chancelado com CNPJ e registro do número de horas. 

Leia Mais ►

Curso de Formação em Treinamento Deportivo

INVISTAM EM EXCELÊNCIA!!! INSCREVAM-SE JÁ!!!

Curso de Formação em "Treinamento Desportivo: Do Desenvolvimento ao Alto Rendimento"
Local: Valente Crossfit (Rua Teodoro da Silva, 944 - Vila Isabel, Rio de Janeiro - RJ, 20560-001)
Investimento
Valor: 600,00
Prazo: até 7 dias antes do curso.
Forma de Pagamento: depósito ou transferência bancária (enviar foto anexo no email confirmando a inscrição)
Banco Santander
Agência: 0202
C/C: 1034609-3
Marcus Vinicius da Costa
CPF: 081045607-94
marcuscosta@mvtrainer.com.br


Cronograma

Dia 24/09 - manhã
Palestra: Desenvolvimento Esportivo (Iniciação)
Palestrante: Marco Leandro
● Mestre em Ciências do Desporto - UTAD
● Treinador de Alto Rendimento da ABT/COB
● Treinador Oficial IAAF nível 2
● Chefe de equipe e treinador de diversas equipes em campeonatos regionais e nacionais
● Treinador de saltos em competições estaduais, brasileiros, sul americanas e mundiais
● Coordenador do CIPH - Atletismo

Dia 24/09 - tarde
Palestra: Alto Rendimento Esportivo 
Palestrante: Clodoaldo Lopes do Carmo
● Mestre em Biodinâmica - UNICAMP
● Treinador Oficial da Equipe Brasileira de Atletismo nos Jogos Olímpicos Rio 2016
● Participante como atleta e  treinador em 5 Jogos Olímpicos (Barcelona, Atlanta, Pequim, Londres e Rio)
● Único atleta fundista   brasileiro finalista olímpico (Barcelona 92)
● Treinador Dissertante Oficial IAAF nível 3 - formador de treinadores nível 2
● Especialista em Atletismo pela IAAF como treinador de Meio Fundo, Fundo e Marcha
● Supervisor e treinador do E. C. Pinheiros
● Consultor Esportivo do Programa Brasil Vale Ouro da Fundação Vale
● Supervisor Técnico da CLRD Serviços Esportivos Ltda
● Presidente da Associação Desportiva de Atletismo do Brasil (ADAB)

Dia 25/09 - manhã
Palestra: Nutrição Esportiva
Palestrante: Mariana Belem
● Especialista em Nutrição Clínica e Esportiva
● Nutricionista da Seleção Brasileira de Luta Olímpica e da Confederação Brasileira de Wrestling desde 2007
● Nutricionista da Federação de Boxe do Estado do Rio de Janeiro
● Consultora responsável pela empresa Alimentação Inteligente nas Olimpíadas Rio 2016

Dia 25/09 - tarde
Palestra: Fisioterapia  Esportiva
● Palestrante: Marcos Vitullo
Fisioterapeuta da CBAT e CBDV
● Pós graduado em Fisiologia do exercício UNIFESP
● Especialista em medicina tradicional chinesa e acupuntura
● Fisioterapeuta do atletismo dos jogos olimpicos do RJ 2016
● Fisioterapeuta do Judô nos Jogos Paralímpicos RJ 2016

Dia 22/10 - manhã (teoria) e tarde (prática)
Palestra: Levantamento Olímpico para Todos os Esportes
Palestrante: Marcus Costa 
● Especialista em Treinamento Desportivo pela EEFD/UFRJ 
● Pós Graduando em Metodologia do Treinamento para Esporte de Alto Rendimento no NAR-SP
● Membro e Treinador da Academia Brasileira 
de Treinadores do Comitê Olímpico do Brasil, na modalidade esportiva do Atletismo
● Professor da  Pós Graduação em Treinamento Funcional aplicado ao Fitness e Personal Training da UNILAS
● Membro do Grupo de  Pesquisas em Treinamento Desportivo da EEFD/UFRJ (desde 2013)
● Sócio/Diretor e Coordenador Técnico/Preparador Físico  do CPH - Centro de Performance Humana
● Colunista em Treinamento Desportivo na Revista Gracie Magazine
● Treinador Mini-Atletismo CBAt – IAAF (Confederação Brasileira de Atletismo/International Association  of Athletics Federations) 
● Certificado de Extensão em Treinamento Desportivo da Formação ao Alto Rendimento na Universidade Estatal de Cultura Física, Esportes e Turismo de Moscou na Rússia

● Especialista em Levantamento Olímpico pela  IWF (International Weightlifting Federation) e Eleiko (Brasil)
● Certificado em Levantamento Olímpico pela  Varbanov  School  Of  Weightlifting  (Varna - Bulgária) 
● Certificado em Treinamento de Força e Levantamento Olímpico pela Eleiko (Halmstad ‐ Suécia)


Leia Mais ►

Coluna Ciência das Artes Marciais: 12 principais exercícios para lutadores

 

Neste artigo, desdobrado em duas partes, a ideia é mais uma vez descomplicar. Com a gama de meios e métodos proliferando por todos os lados, praticantes e atletas de diversas graduações e faixas etárias ficam um pouco confusos sobre a escolha dos exercícios. 

Perguntas comuns: quais são os principais exercícios para preparação física? Quando realizá-los? Para facilitar, listamos (sem ordem sucessiva de importância) 12 dos principais exercícios (não específicos) para lutadores. Aqui, consideramos como não específicos aqueles que não se referem a reproduzir exatamente as técnicas das lutas em contexto de preparação física.

1) Supino: pode ser utilizado para orientação de força máxima, potência (conjugado com técnicas de lutas) e resistência muscular. Nas lutas de domínio ou “agarre” (Jiu-Jítsu, Luta Olímpica etc.), é exercício-base de preferência para situações de empurrar, tão comuns nessas modalidades. Nas lutas de percussão ou de “contato”/“traumáticas” (Boxe, Muay Thai etc.) constitui o exercício-base para situações de socos, optando-se pela realização com halteres. No MMA, podem ser reunidas todas as considerações anteriores. Em estudos conduzidos com atletas de Luta Olímpica e Jiu-Jítsu, os indivíduos reportaram percepção de fadiga elevada no deltoide ou “ombro” (porção anterior). Músculo muito solicitado no exercício de supino;

2) Levantamento Terra: tal como o supino, pode ser utilizado para as mesmas orientações (força máxima). No Jiu-Jítsu e no MMA, por exemplo, é exercício-base nas situações em que diversas articulações são solicitadas ao suspender um adversário do solo;

3) Agachamento: com o supino e levantamento terra, forma a base para o treinamento de força máxima de lutadores de modalidades de percussão, não sendo necessário – com raras exceções – outros exercícios para esse objetivo. Vale ressaltar que o “agachar” humano (flexão e extensão dos joelhos) se faz presente em (quase) todas as técnicas de projeção ou “quedas” e nas esquivas de modalidades de percussão. Em estudos realizados com lutadores, observou-se maior solicitação dos membros inferiores, quer seja pelo relato dos atletas – Karatê ou pelo excesso de repetições de técnicas de chute em competições – Taekwondo;

4) Remada: não deve ser negligenciada nas modalidades de domínio ou agarre. Realizada em aparelho próprio (preensão ou “pegada” uni ou bilateral), com pegada unilateral em polia explorando diversas possibilidades (polia baixa, alta etc.) e com parte do quimono (Gi). Praticamente em todas as modalidades de domínio, as dinâmicas de puxar e empurrar são constantes, tornando-se imprescindível acrescentar na programação quando a orientação for de força máxima. Também pode ser interessante utilizar com intuito de resistência muscular (consoante à observação alocada no sexto exercício – “subida na corda” –, baseada em estudos com lutadores);

5) Tração na Barra Fixa: pode ser utilizada com diâmetro de barra comm, com diâmetro maior que simule o punho do adversário (MMA, Submission etc.) ou envolta com quimono – Gi (Jiu-Jítsu, Judô etc.). Vale substituir, eventualmente, pelo exercício de remada. Em estudo conduzido com atletas de Jiu-Jítsu, observou-se que o tempo de sustentação na barra fixa utilizando um quimono poderia ser relacionado ao decréscimo da resistência muscular após 8 minutos de um combate controlado (simulação de combate competitivo);

6) Subida na Corda (resistência e/ou força de preensão manual): exercício predileto de diversos campeões mundiais, tais como Ronaldo Jacaré e Ricardo Arona. O macete na execução é não estender demasiadamente o cotovelo, evitando dores e lesões. Utilizada com carga (caneleira) para aumentar a força muscular ou com auxílio dos pés e maior número de repetições para resistência muscular. Em estudos conduzidos com atletas de Luta Olímpica e Jiu-Jítsu, os indivíduos reportaram que o antebraço era o músculo/local primário na percepção de fadiga elevada.

Uma observação importante: dependendo do modelo de periodização escolhido, ou seja, da escolha e divisão dos estímulos durante as semanas que antecedem a competição-alvo, se reputa que os exercícios não específicos serão realizados para formar a base preparatória/condutora até os estímulos específicos. Assim consideramos neste artigo em particular, embora não encerre outras possibilidades.

Para simplificar, se uma luta estiver previamente agendada para 16 semanas, nas primeiras oito a ênfase recairá pelos exercícios não específicos e nas oito semanas antecedentes ao combate, pelos estímulos específicos. Essa divisão não precisa e geralmente não é tão rígida. Alguns profissionais optam - com relativo sucesso - pela seleção de alguns exercícios não específicos até a véspera da luta. Caso, por exemplo, dos exercícios de Arranco e Arremesso (e suas variações), utilizados em algumas situações e, dependendo do objetivo e/ou metodologia, na semana anterior ao combate.

Atenção: boa parte das referências desse artigo foi extraída dos livros “Pronto Pra Guerra – Preparação Física Específica p/ Luta & Superação” e “Olhar Clínico nas Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate” (Autor: Leandro Paiva). As demais referências serão abordadas em profundidade e detalhadamente no II Simpósio Nacional de Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate – Saibamais AQUI.  


Leia Mais ►
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...