VAGAS LIMITADAS!

A prática de capoeira favorece o aumento da flexibilidade?



Segundo os autores de um artigo recém publicado, após estudar um grupo de capoeiristas, concluíram que a prática desta luta para o grupo analisado não favoreceu o aumento da flexibilidade. Em alguns casos, pasmem, até diminuiu.

Adiante, os leitores deste Blog podem visualizar o resumo do artigo.


Leandro Paiva



Título: A prática de capoeira não favorece o aumento da flexibilidade

Autores: Aldicley Gradson Neves de Matos & Adilson Domingos dos Reis Filho

Fonte: efdeportes.com


Resumo

A prática da capoeira requer a utilização de inúmeras valências físicas, dentre elas a flexibilidade, que é indispensável à realização de vários dos movimentos utilizados na capoeira, sobretudo os acrobáticos.

Desta forma, o presente estudo objetivou analisar os níveis de flexibilidade após 12 semanas de treinamento de capoeira. O estudo contou com 20 sujeitos, sendo 10 do sexo masculino (Grupo Masculino) e 10 do sexo feminino (Grupo Feminino).

Utilizou-se para a mensuração da flexibilidade, os protocolos de sentar e alcançar (SeA) e afastamento lateral dos membros inferiores (AMI). Os treinos foram realizados nas segundas, quartas e sextas-feiras, com duração de 60 minutos cada, durante 12 semanas.

Os resultados iniciais do grupo GM foram: 13,8±1,8 cm para o teste (SeA) e 40,1±10,0 cm para o teste (AMI), ao término das 12 semanas foram encontrados os seguintes resultados: 15,2±2,0 cm para o teste (SeA) e 41,1±2,7 cm no teste de (AMI).

O grupo GF apresentou inicialmente 13,2±1,9 cm no teste (SeA) e 43,0±1,9 cm no teste (AMI). Após a intervenção, os dados obtidos foram: 15,0±2,3 cm para o teste (SeA) e 41,5±2,5 cm no teste (AMI).

Conclui-se para esta amostra, que o treinamento de capoeira não favoreceu o aumento significativo da flexibilidade, com isso, sugere-se que treinamentos específicos para a flexibilidade deveriam ser preconizados juntamente com as aulas de capoeira.

5 comentários:

  1. Não sou praticante de Capoeira nem educador físico / fisioterapeuta ou profissional da área, mas não sei se essa pesquisa pode ser aceita como uma verdade por dois motivos:

    1 - Pouquíssimo tempo de análise. 12 semanas em se tratando de melhoria de flexibilidade não é nada. Acredito que um estudo de 1 ou 2 anos traria um resultado mais confiável.

    2 - Grupos de estudo com 10 pessoas? Nem grupo de controle houve? Universo de estudo insignificante para a afirmação que se propõe a fazer.

    Acompanho o blog e sempre aprendo muito aqui (me perdoe por nunca comentar seu trabalho Leandro, que na minha opinião possui nível de excelência!) mas esse estudo não me convenceu hehe.

    Grande abraço e parabéns pelo Blog!

    ResponderExcluir
  2. Saulo, obrigado por participar. Comente sempre que julgar necessário.

    Concordo com você quanto ao que colocou, mas lembre-se de que eles (autores) afirmaram que não favoreceu o aumento da flexibilidade apenas para o grupo analisado por eles.

    Adicionalmente, creio/especulo que a amostra apresentaria resultados mais expressivos de melhora de flexibilidade se fossem indivíduos iniciantes na prática e pareados com um grupo controle.

    Grande Abraço

    Leandro Paiva

    P.S: Dá um desconto, pois sem incentivo é muito difícil publicar por aqui. Ainda mais no segmento de lutas. :-)

    ResponderExcluir
  3. Prezados Saulo e Leandro,

    Primeiramente gostaria de parabenizar a iniciativa do blog em divulgar artigos relacionados ao mundo das artes marciais/lutas.

    Em relação ao comentário do Saulo, concordo com você que o universo amostral foi reduzido, e sobre isso o Leandro foi feliz em reforçar o que o artigo disse "...Conclui-se para esta amostra, que o treinamento de capoeira não favoreceu o aumento significativo da flexibilidade". A dificuldade em se padronizar o treinamento, excluir os alongamentos da rotina dos avaliados, controlar outras variáveis que poderiam ocasionar vieses de informação, tal qual, praticar outro tipo de esporte e/ou musculação, considero que um n de 10 pessoas para um grupo masculino e 10 para o feminino foi uma vitória. Ainda, poderíamos ter inserido um monte de praticantes de capoeira, mas como o critério de acompanhamento era rigoroso, o número final de participantes foi reduzido.

    Em relação ao tempo de 12 semanas, apesar de aparentemente reduzido, é o suficiente para ocasionar modificações tanto morfológicas quanto fisiológicas, isso já está bem documentado na literatura científica. O fato de não ter ocorrido aumento significativo na flexibilidade, ao meu ver foi até mais interessante do que ter observado o aumento, pois, é justamente esse conceito que a maioria das pessoas tem em relação à prática da capoeira, só que, muitos esquecem de analisar que para a realização das acrobacias "floreios", muitas horas são dedicadas ao treino de flexibilidade.

    É claro que se fosse possível manter esse grupo de indivíduos treinando ao longo de 1 ou 2 anos, nas condições prévias estabelecidas, seria ótimo, mas vale ressaltar que alguns dos voluntários participam de competições e deixá-los 1 ou 2 anos sem treinar a flexibilidade poderia comprometer o desempenho dos mesmos.

    Quanto ao grupo controle, foi optado por não te-lo, pois não acrescentaria em nada, visto que, ninguém aumenta os níveis de quaisquer que seja a valência motora permanecendo sedentário. Ao menos eu desconheço um estudo que observou aumento de força, flexibilidade, VO2máx, etc., em indivíduos que comem e dormem.

    Por fim, respondo o porque não foi utilizado na amostra indivíduos iniciantes. Partindo da premissa de que, quem está em homeostase (equilíbrio) quando recebe algum estímulo deixa de ser inerte, era óbvio que indivíduos destreinados teriam aumentos da sua flexibilidade, como já foi exposto em outros trabalhos com atletas de lutas, inclusive da capoeira. A relevância de nosso artigo está pautada na discussão sobre se indivíduos já treinados continuariam se beneficiando da capoeira para aumentar e/ou manter os níveis de flexibilidade ou se tais indivíduos necessitariam de treinamento específico para esta valência física e pelo que pudemos em parte demonstrar, foi que, para indivíduos já treinados, somente a prática da capoeira parece não favorecer maior flexibilidade, desta forma necessitando de treinamento específico.

    Parabéns pelo blog e me coloco à disposição para maiores esclarecimentos. Grato pela discussão saudável, isso favorece o nosso crescimento enquanto pesquisadores.

    Abraços,

    Prof. MSc. Adilson Reis Filho.

    ResponderExcluir
  4. Adilson, fiquei feliz com sua participação e exposição de ideias. Fique a vontade para sempre comentar e participar.

    Grande Abraço

    ResponderExcluir
  5. Adilson e Leandro,

    Entendo o que salientam.
    Apenas comentei pois o título ficou muito sugestivo: "A prática de capoeira não favorece o aumento da flexibilidade" quando essa conclusão não pode ser obtida nesse estudo.

    Parabéns pela iniciativa dos autores, acho uma questão bastante pertinente.

    Parabéns pelo blog, cada dia com conteúdo mais interessante! Gostei muito dos vídeos de treinamento de força e explosão!

    Grande abraço pessoal.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...